quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

HOMENAGEM A FRANZ KRAJCBERG





HOMENAGEM A FRANZ KRAJCBERG


A árvore secou no alto da montanha
e todas as árvores
prostraram-se
em pranto
copiosamente
em pranto

morreu o barbudo das pedras

                       agora estão definitivamente sozinhas




sábado, 23 de novembro de 2013

A RESPIRAÇÃO DOS MORTOS





A RESPIRAÇÃO DOS MORTOS

a Muricy Domingues

 

A respiração dos mortos ainda audível

Sob o concreto do muro

A lâmina do sol cai corta a garganta

A língua lívida quebra-se

 

J. C. Brandão

 

 

quinta-feira, 11 de abril de 2013

sexta-feira, 5 de abril de 2013

O GRANDE DESASTRE AÉREO DE ONTEM






O GRANDE DESASTRE AÉREO DE ONTEM


O ônibus veio do aeroporto Tom Jobim
e despencou do alto do viaduto – uns 10 metros de altura! –
dando cambalhotas no ar como um louco
até se esborrachar na Avenida Brasil.

Sete passageiros saíram voando na hora rumo do céu.
Pareciam anjos batendo as asas,
pareciam passarinhos
ou aviões, foguetes, raios, rojões
e num instante, no átimo dum microinstante estavam diante de Deus.

Coitados dos parentes que sofrem tanto,
coitado do motorista que pode ter o seu quê de culpa,
coitado do que brigou com o motorista e tem mais culpa ainda,
coitados dos feridos que podem ficar aleijados
e isso é um mal sem tamanho
ou podem morrer
e isso é um mal sem remédio.
Os sete já morreram e não precisam mais de remédio,
pois gozam já da visão esplendorosa de Deus na sua glória.








terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

DADOS BIOGRÁFICOS DO POETA QUANDO SANTISTA



Eu morei no Boqueirão perto do cais
com susto e perigo no escuro

Morei no Curvão da Pinheiro Machado
onde conheci um velho que pensava ser van Gogh
(era a poesia, com a morte a tiracolo)

Depois morei perto do Canal 7
na (sem música nenhuma) rua Heitor Villa Lobos

O sol reverberava, o mar reverberava, eu reverberava

Trabalhei na Escola Escolástica Rosa – eu pensava numa
negra quase santa chamada Escolástica e na Santa
Escolástica, mãe de São Bento, com um nó no pescoço

O mar reverberava, as pedras reverberam, eu reverberava ao sol